Skank dá 'Beijo na Guanabara' de bônus na reciclagem dos três primeiros álbuns do grupo
11/10/2018 14:23 em Música

Ao reciclar os repertórios dos três primeiros álbuns em gravação ao vivo de show já disponibilizada nas plataformas digitais, o Skank adicionou duas músicas ausentes dos discos lançados entre 1992 e 1996.

Além de Algo parecido, apaixonante canção inédita de Samuel Rosa que reforça a ideia de que o grupo precisa voltar ao estúdio para registrar repertório novo em álbum já necessário, o quarteto dá Beijo na Guanabara de bônus.

Parceria de Samuel Rosa com o compositor Rodrigo Leão, Beijo na Guanabara não é música inédita. O reggae foi lançado em 1999 em gravação feita pela cantora Renata Arruda para o álbum Um do outro, mas até então permanecia inédito na discografia do Skank.

Gravada pelo quarteto em estúdio para o álbum ao vivo Os três primeiros, Beijo na Guanabara é composição feita na segunda metade dos anos 1990 na levada pop jamaicana que dava o tom da obra do grupo naquela década juvenil antes da transição para a maturidade iniciada no álbum Siderado (1998) e desenvolvida a partir do álbum Maquinarama (2000), obra-prima da discografia do Skank.

 
 — Foto: Editoria de Arte / G1 — Foto: Editoria de Arte / G1

— Foto: Editoria de Arte / G1

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!