Crédito da imagem: Gal Costa em foto de divulgação.

Gal Costa vislumbra o tempo liso e estilhaçado de Gilberto Gil em canção do álbum 'A pele do futuro'

Mauro Ferreira


A pele do futuro é o título do 40º álbum da discografia de Gal Costa. O nome do álbum – cuja previsão de lançamento passou de agosto para setembro porque a gravadora Biscoito Fino pretende lançar simultaneamente A pele do futuro em CD, LP e edição digital – foi extraído da letra da música Viagem passageira, inédita canção composta por Gilberto Gil especialmente para o disco gravado por Gal neste primeiro semestre de 2018 com produção musical de Pupillo e direção artística de Marcus Preto.


Nos versos da balada de letra filosófica, o poeta baiano vislumbra um tempo "finalmente estilhaçado (...) liso, sem o fuso horário", em plano transcendental da existência humana, já sem "a incerteza do binário". Eis, na íntegra, a letra da canção feita por Gil para Gal:


Viagem passageira


(Gilberto Gil)


O sonho é ter tudo resolvido


Com o passar do tempo pela vida


A casca da ferida se formando


A cicatriz na pele do futuro


A pele do futuro finalmente


Imune ao corte, à lâmina do tempo


O tempo finalmente estilhaçado


E a poeira sumindo no horizonte


O sonho é ter tudo dissolvido


O corpo, a mente, a fonte da lembrança


Enfim, ponto final na esperança


Somente as ondas soltas no oceano


Não mais o esperma e o óvulo da morte


Não mais a incerteza do binário


Um tempo liso sem o fuso horário


Não mais um sim, um não, um sul, um norte


O sonho dessa canção passageira


Mochila da viagem passageira


Passagem nessa vida passageira


Para uma vida ainda passageira


Primeiro álbum de estúdio da cantora baiana desde Estratosférica (2015), A pele do futuro concilia no repertório músicas de compositores importantes no passado glorioso de Gal com temas das lavras de compositores da presente geração – como Silva e Omar Salomão, parceiros do single Palavras no corpo, e como César Lacerda, autor da melodia posta sobre poema de Jorge Mautner, Minha mãe, e gravada por Gal em dueto com Maria Bethânia.


Além da balada filosófica de Gil, o repertório do álbum A pele do futuro inclui músicas de Adriana Calcanhotto, Djavan (o samba Dentro da lei), Erasmo Carlos (Abre alas do verão, parceria com Emicida), Guilherme Arantes (Puro sangue – O libelo do perdão) e Nando Reis (Mãe de todas as vozes).


Compositor baiano associado ao soul nacional dos anos 1970 e até então nunca gravado por Gal, Hyldon também tem música incluída no repertório inédito do álbum A pele do futuro. Assim como a compositora Marília Mendonça, hitmaker do universo pop sertanejo.


Portal G1

Outras Notícias

Guitarrista expõe princípios e influências do jazz em DVD de tom pedagógico

Mauro Ferreira"Se você precisa perguntar o que é jazz, você nunca saberá".A frase lapidar atribuída ao cantor e tromp...

Toquinho resume 50 anos de carreira em DVD com show feito com adesão de Tiê

Mauro FerreiraA rigor, Toquinho já está em cena há 54 anos, pois foi como violonista que estreou no palco, em 1964, a...

Chico Amaral, letrista de hits do Skank, se apresenta com parceiros como Ed Motta

Mauro FerreiraPara quem liga o nome de Chico Amaral à (letra de) música, a associação imediata do compositor mineiro ...

Filho de Tina Turner é encontrado morto, diz site

RedaçãoCraig Raymond Turner, filho mais velho da cantora Tina Turner, foi encontrado morto nesta terça-feira (3), em ...